terça-feira, 30 de agosto de 2011

Obras no Terminal de Niterói serão realizadas no turno da noite

Prefeitura e concessionária que administra o João Goulart estabeleceram que intervenções sejam feitas fora do horário de rush. Usuários passam por problemas desde o começo da obra

A Prefeitura de Niterói estabeleceu que o consórcio Teroni, que administra Terminal Rodoviário João Goulart, realize intervenções nas plataformas apenas das 22h às 4 horas, fora do horário de rush.

A determinação, que começou a vigorar nesta segunda-feira, foi dada em função dos transtornos causados aos usuários e aos extensos engarrafamentos nas ruas do Centro, que estão ocorrendo por conta das obras de drenagem e pavimentação, realizadas desde junho.

De acordo com o motorista de ônibus da empresa Rio Ita, Joelson da Silva, 35 anos, que embarca e desembarca na atual plataforma – a azul – onde estão sendo feitas obras de pavimentação, a situação no terminal, principalmente à noite, é caótica. O rodoviário reclama da falta de planejamento.

Segundo o consórcio Teroni, quando concluídas, as obras darão maior fluidez ao tráfego de ônibus. A concessionária informou que a pavimentação está sendo refeita com resistência cinco vezes maior a utilizada antes. Os canteiros instalados nas áreas de manobra dos ônibus estão sendo diminuídos para dar mais mobilidade aos coletivos e evitar congestionamento.(O Fluminense)

Artigo: Alô, Rio, ainda dá tempo

O Estado do Rio de Janeiro está diante de uma grande oportunidade para aumentar seu parque industrial: em setembro próximo, a Secretaria de Transporte estará abrindo licitação internacional para a compra de 60 trens de quatro carros para a Supervia. Em seguida, a própria (hoje controlada pela Odebrecht Transport) vai encomendar mais 30 trens também de quatro carros, somando 90 trens ou 360 carros. Encomenda para fabricante nenhum botar defeito.

Poderíamos perfeitamente fabricar os trens no Estado do Rio de Janeiro, com mão de obra e insumos brasileiros. O Brasil tem tecnologia, mão de obra e capacidade para fabricar trens elétricos desde a década de 70, como aliás fazia a extinta Cia. Industrial Santa Matilde, em Três Rios. Se não fabricar tudo, pelo menos parte. O que o Estado do Rio de Janeiro não pode – ou melhor, não deve – é continuar comprando trens embrulhados da Coreia, como fez em 2005, ou da China, como em 2008.

Quando o governo de São Paulo fez compra semelhante, em 2008, para a CPTM e o Metrô, optou por criar na licitação margem de preferência de 15% em favor de equipamento fabricado no Brasil. Isso bastou para que o vencedor da concorrência, uma empresa espanhola, até então ausente do país, construísse em Hortolândia , perto de Campinas, uma fábrica novinha em folha, que hoje emprega 1.300 homens e fabrica 65% do valor dos trens. De espanhóis trabalhando na fábrica há, ainda, 20 técnicos para treinar os brasileiros. Todos voltarão à Espanha em pouco tempo.

Tanto em São Paulo como no Rio, a compra é financiada pelo Banco Mundial, que nas suas regras exige concorrência internacional, mas permite a preferência dos 15%. Só que o governo do Rio de Janeiro não quer nem ouvir falar de preferência, apesar dos insistentes pleitos da indústria nacional. Prefere fazer o negócio ao preço mais baixo possível, ou seja, na China, grande fornecedora de trens elétricos, guarda-chuvas e luzinhas de natal, e ficar com o troco do financiamento do Banco Mundial para comprar mais trens adiante.

Nos últimos 30 dias foi anunciada a construção de quatro fábricas de material ferroviário no Brasil: uma de locomotivas em Sete Lagoas (MG), uma de trens elétricos em Araraquara (SP), uma de freios em Itupeva (SP), e até uma de monotrilhos em Campo Grande (RJ). O país está atravessando um verdadeiro renascimento do transporte ferroviário, impulsionado pela saturação dos demais meios de transporte, pela questão ambiental e pelo avanço tecnológico na construção de material ferroviário. Não é só um fenômeno brasileiro, mas está acontecendo nos Estados Unidos e na China.

Os 60 + 30 trens da  Supervia valem perto de 900 milhões de dólares, dinheiro mais do que suficiente para investir numa nova fábrica no estado. Se o governo não fizer nada, todo esse valor, e os empregos que gera, vão ficar na China mesmo, mais exatamente em Changchun, onde a Changchun Railway Vehicles está fabricando os 34 trens vendidos há dois anos para a mesma Supervia.

Nada contra trens chineses. Ainda não começamos a usá-los no Brasil, mas, até prova em contrário, são tão bons como qualquer outro (espero). Então, se compramos tanto deles, porque não vêm fabricar aqui? Não foi assim que a indústria automobilística brasileira foi criada?

Não parece haver objeção do lado dos chineses. Eles já estão assinando protocolos de intenção com a indústria brasileira, preparando possíveis joint ventures. Nem haveria objeção do Banco Mundial, que aceitaria a preferência dos 15% para fabricação no Brasil. O governo do estado ainda pode mudar o jogo se perceber a oportunidade.
O Globo / Gerson Toller - Diretor-executivo da Revista Ferroviária.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Quadro clínico de Ricardo Gomes permanece estável

Novo boletim médico do treinador sairá às 12h desta segunda


O quadro médico do técnico do Vasco Ricardo Gomes permanece grave, porém estável. O próximo boletim contendo informações sobre o seu estado de saúde só será divulgado após a avaliação por um neurocirurgião do Hospital Pasteur, onde se encontra o treinador.

Este procedimento acontecerá por volta das 12h, cerca de 12 horas depois da cirurgia realizada na noite deste domingo. Segundo os médicos, a operação foi um sucesso, já que foi feita a drenagem, diminuindo a pressão no tecido cerebral.(Lancenet)

Associação de Moradores de Santa Teresa acusa Estado de omissão em relação ao estado dos bondes

A Associação de Moradores de Santa Teresa (Amast) divulgou, através de seu site, um extenso texto, no qual faz diversas denúncias de omissão do poder público quanto ao estado de funcionamento dos bondes.
Segundo o manifesto, intitulado “Acidente com o bonde: tragédia anunciada mais 

uma)”, o Estado do Rio de Janeiro omite-se de forma vil e dolosa há anos, tratando o sistema de bondes de Santa Teresa com descaso. Assinado pela diretoria da Amast, o texto afirma que “a superlotação (...) é fruto do número reduzido de bondes em operação. A verba que deveria ter sido utilizada para restabelecer a operação dos 14 bondes foi aplicada indevidamente em uma tentativa fracassada de modernização dos bondes, verdadeira aventura tecnológica que resultou em pseudo-VLT’s com aparência de bondes, os quais
seguem apresentando problemas de freio, poluição sonora e instabilidade nas curvas. Em paralelo, os poucos bondes tradicionais que não sofreram desmantelamento, foram relegados ao abandono, à falta de manutenção preventiva e seguiram operando em condições totalmente precárias”.

O manifesto faz ainda outras graves denúncias, afirmando que “O CREA, em relatório da CAPA (Comissão de Prevenção de Acidentes) divulgado publicamente, recomendou que os bondes modificados não fossem colocados em circulação devido à falha grave na localização do sistema de freios. A recomendação foi solenemente ignorada pelo Governo do Estado (Sérgio Cabral), Secretaria de Transportes (Júlio Lopes) e Central Logística (empresa que administra o sistema de bondes)”. 

Em outro trecho do texto, a Amast afirma que "O Ministério Público Estadual, apesar de ter movido Ação Civil Pública na qual obteve liminar, sentença e decisão em recurso favoráveis à restauração completa do sistema de bondes, jamais fez qualquer pedido à justiça de execução provisória das referidas decisões. O Tribunal de Contas do Estado julgou ilegal o contrato da T’TRANS com a Central Logística (empresa estadual que administra o sistema de bondes de Santa Teresa), o que, em tese, acarretaria a necessidade de punir os responsáveis pela negociata e reparação dos prejuízos causados ao erário, mas até o momento não se teve notícia de qualquer punição e muito menos de restituição da verba pública ilegalmente empregada. A Comissão de Transportes da Câmara Municipal, após intensos trabalhos, propôs uma série de medidas e recomendações, além de apontar fatos merecedores de atenção e providências, relacionados à ordenação do trânsito em Santa Teresa. Contudo, a Prefeitura do Rio de Janeiro (Eduardo Paes), a CET Rio e a Secretaria Municipal de Transportes não moveram uma palha para alterar a triste e perigosa realidade em que nós, moradores de Santa Teresa, vivemos diariamente".(Jornal O Globo)

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Caminhada pelos fortes niteroienses em comemoração ao Dia do Soldado


Exército Brasileiro promove jornada ecológica aberta a toda população de Niterói no próximo domingo em Jurujuba. Saída será às 8h no Forte Barão do Rio Branco. Passeio é grátis

Neste domingo, a partir das 8h, acontece a XVIII Caminhada Ecológica e Cultural – Duque de Caxias, tradicional atividade de integração entre o Exército e a comunidade niteroiense.

O evento é gratuito em comemoração ao Dia do Soldado, celebrado no dia 25 de agosto, data do nascimento do Patrono do Exército brasileiro, Marechal Luiz Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias.

A caminhada sairá do Forte Barão do Rio Branco, localizado na Alameda Marechal Pessoa Leal 265, em Jurujuba. Aberto à comunidade em geral, o evento promete atrair milhares de pessoas. Em uma de suas edições já chegou a reunir cerca de 10 mil, incluindo visitantes de outros municípios.

Recreação antes da saída
Este ano, a exemplo dos anteriores, os participantes também poderão doar um quilo de alimento não perecível, que será revertido a instituições de caridade da região. Durante a concentração, haverá distribuição de brindes, aquecimento com apresentação de recreadores, e quiosques com atividades de saúde e reciclagem.

O ponto de partida será no Forte Barão do Rio Branco, construído em 1567, de onde os participantes seguirão para o Forte São Luís (1769) e Forte do Pico (1918).

Depois, os participantes descerão por uma trilha construída pelos portugueses até a Fortaleza de Santa Cruz (1555), onde haverá onde haverá uma exposição de veículos militares e carros antigos, além de visitação gratuita à edificação. No local, um ônibus vai levar os candidatos de volta ao Forte Rio Branco.

Equipamentos – Para uma caminhada mais agradável, os organizadores do evento orientam aos participantes que utilizem calçados confortáveis, roupas leves e bonés.

História e natureza
Além de proporcionar o contato com a natureza o passeio também reserva um encontro com a história não só do município como do país. O Forte Barão do Rio Branco, ligação entre os Fortes São Luiz e do Pico com o Forte do Imbuhy, por exemplo, teve importante e eficaz participação contra as incursões dos piratas franceses no século XVIII.

Já os Fortes São Luiz e do Pico reportam aos anos de 1769 e 1918, respectivamente. Ocupando posições a 230 metros acima do nível do mar, tinham total dominância da entrada da baía de Guanabara, servindo como posto de observação, defesa aproximada da Fortaleza de Santa Cruz, além de serem inatingíveis pelos canhões das embarcações de suas épocas.

A Fortaleza de Santa Cruz da Barra, por sua vez, é um sítio histórico único no Brasil, com pedra fundamental no ano de 1555. Suas muralhas foram construídas com pedras cortadas e assentadas à mão, com uma área de 7.153 metros quadrados.

Forte tem canhões e capela com mais de 500 anos- Possui um acervo composto de 45 canhões dos séculos XVIII e XIX, além de uma capela datada de 1612, com uma imagem de Santa Bárbara do século XVIII.

Localizada ao lado do canal de entrada da baía de Guanabara, por onde passam todas as embarcações que chegam ao porto do Rio de janeiro, assim como as demais fortificações tem uma visão privilegiada das cidades do Rio de Janeiro e de Niterói.(O Fluminense)

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Dia do Soldado


Para quem passou por lá sabe que o aprendizado foi muito maior do que a doação. Viva o Soldado brasileiro

Alunos da UFF terão transporte gratuito até terminais de Niterói

Universidade terá coletivo próprio para levar estudantes em segurança até os terminais de ônibus e das barcas. Medida pode ajudar evitar assaltos perto dos campi

Para amenizar a exposição dos alunos da Universidade Federal Fluminense (UFF) aos riscos de transitar próximo aos campi, evitando que eles sejam vítimas de assaltos, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proaes) abriu licitação para a compra de ônibus que farão o transporte universitário em período integral. A medida foi divulgada na semana em que alunos da universidade criaram um site para alertar sobre a violência no entorno da UFF, em que as vítimas podem postar depoimentos sobre as violências sofridas.

Com intervalos de 15 minutos, os coletivos deverão circular entre os campi, além de levar os alunos aos principais pontos do transporte público como o Terminal Rodoviário João Goulart e a Estação das Barcas, no Centro. Eles deverão, também, complementar o trabalho de alguns micro-ônibus, de baixa capacidade, que já auxiliam na locomoção de alunos em disciplinas específicas, conforme explicou o pró-reitor da Proaes, Sérgio Mendonça.

“A ideia dos ônibus é favorecer a vida acadêmica dos estudantes, que têm aulas em diferentes campi e também melhorar a questão da segurança, principalmente à noite. Os ônibus vão passar no Centro de Niterói. Claro que isso não substitui o poder público, mas é uma contribuição”, argumenta.

A UFF vai adquirir três ônibus, mas o terceiro veículo deve ser destinado ao Polo de Volta Redonda, no interior do estado. O processo de licitação está em andamento e a empresa vencedora ainda terá 90 dias para entregar os veículos. O pró-reitor acredita que até o fim do ano o serviço esteja disponível.

Os alunos alegam, no entanto, que o número de ônibus para Niterói é insuficiente.

 “Dois ônibus dá para no máximo 90 pessoas. A UFF tem milhares de alunos que passam por aqui em diferentes horários”, argumenta a estudante Maria Nazareth, de 24 anos, matriculada no 7º período do curso Serviço Social, no campus do Gragoatá.

A Universidade Federal Fluminense possui cerca de 20 mil alunos, sendo que pelo menos 10 mil têm aulas à noite, horário de maior perigo.

“Se tivesse recurso para comprar cinco [ônibus], eu compraria. Mas não basta estalar os dedos para conseguir recursos públicos. Acredito que vai ser possível oferecer transporte de qualidade aos alunos, porque mesmo com os ônibus indo até o Centro de Niterói, o percurso não é longo”, justifica o pró-reitor, adiantando que a UFF já planeja a abertura de nova licitação para 2012.

Internet – O site intitulado “Crimes contra estudantes de Niterói” foi criado para que qualquer estudante possa marcar em um mapa virtual da cidade, o dia, a hora e o local exato em que sofreu algum tipo de violência. Segundo os idealizadores, o principal objetivo é alertar os alunos, principalmente os que não residem no município, sobre os riscos de circularem por algumas ruas, apesar de parecerem tranquilas e terem “belas paisagens”.

Para a estudante Samira Hanna, de 20 anos, matriculada no 4º período de Serviço Social, a iniciativa dos colegas é boa, mas não terá resultado se o poder público não prestar atenção nessa manifestação.

“Já fui assaltada quase no portão da faculdade, em plena luz do dia. Não sei se o bandido estava com algum objeto cortante, mas ele ameaçou me furar se eu não entregasse celular. Somos estudantes e temos que ter a garantia de segurança para frequentar nossas aulas”, reivindica.

O chefe-adjunto da seção de planejamento da PM, tenente Bruno Andrade, reitera que existe policiamento ao redor de todos os campi na cidade. Mas ele argumenta que a maioria das vítimas não registra ocorrência na delegacia, o que dificulta o trabalho da PM, que fica sem saber os pontos de maior incidência de crimes.(O Fluminense)

Estréia do programa Esporte Catedral - Quarta, 31 às 20:45 h - 106,7 FM


quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Assembleia Legislativa do Rio cobra novo plano de segurança das Barcas

Comissão de transportes da Alerj além de requisitar estudo para deixar transporte marítimo mais seguro, também pede que Metrô apresente proposta de contingenciamento

A Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa (Alerj) requisitou, em audiência pública realizada na última terça-feira, os planos de contingência de segurança da Barcas S/A e do Metrô do Rio. A solicitação foi feita pelo presidente da comissão, Marcelo Simão (PSB), na reunião em que os deputados buscaram saber detalhes sobre o número de agentes de segurança e o tipo de treinamento oferecido pelas duas concessionárias. Segundo o parlamentar, a análise dos planos vai contribuir para o trabalho da comissão. 

“Nosso objetivo é fiscalizar e tentar melhorar a segurança no transporte de massa, para que episódios como a confusão envolvendo usuários e seguranças do Metrô no início do ano não se repitam”, disse, se referindo ao incidente em abril, quando um segurança foi acusado de agredir um usuário que teria pulado a roleta, na Estação Botafogo.

Segundo Simão, os planos serão analisados e, para aumentar a segurança dos usuários, sugestões de melhorias serão feitas para as concessionárias. 

“Se for o caso, vamos contratar um especialista em segurança para nos orientar nesta análise e podermos cobrar um serviço de qualidade”, afirmou Simão. 

Presidente da Comissão de Segurança, Zaqueu Teixeira (PT) falou sobre a importância de se ter acesso a esses planos. 

“Plano de contingência é o planejamento da segurança, em que constam quantas pessoas você atende por dia, qual o efetivo empregado na segurança e o que os agentes têm que fazer em caso de algum problema. Com isso, vamos poder verificar se o que está planejado acontece de fato.”

Coordenador de Segurança do Metrô Rio, Péricles Magalhães classificou o episódio de abril como “um caso isolado” e afirmou que o agente foi demitido. Já o coordenador-geral da Barcas S/A, Hugo Quiroga, deu detalhes sobre o esquema de segurança nas estações, que, segundo ele, contam com companhias terceirizadas de segurança, e nas embarcações, em que a própria tripulação é treinada pela Marinha para atuar. 

“Além do auxílio da Marinha, fazemos treinamento a cada 15 dias com os tripulantes para melhorar a atuação deles”, destacou. 

Quiroga, assim como Magalhães, comprometeu-se a entregar os planos de segurança à Alerj em prazo a ser estipulado. 

Participaram ainda da audiência os deputados Alessandro Calazans (PMN) e Luiz Martins (PDT), membros da comissão; o conselheiro Herval Barros, da Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transporte (Agetransp); e o diretor do Sindicato dos Metroviários, Antônio Luiz da Silva, além do major Ricardo Melo, do Núcleo de Policiamento Ferroviário do Batalhão de Choque da Polícia Militar.(O Fluminense)

Martin Scorsese's GEORGE HARRISON Living In The Material World


Veteran no Forte de Copacabana - Rio de Janeiro


LLX e FCA estudam construção de ferrovia no RJ

A LLX Logística informou ontem à noite que firmou com a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), administrada pela Vale, um memorando de entendimentos não vinculante com o objetivo de desenvolverem em conjunto estudos técnicos de viabilidade para a construção de uma ferrovia que ligará o Superporto do Açu à região de Ambaí, no município de Nova Iguaçu, Estado do Rio de Janeiro.

De acordo com o comunicado, a implantação deste corredor logístico integrará o Superporto do Açu com a malha ferroviária nacional, permitindo o transporte de diversos produtos como, por exemplo, minério de ferro, produtos siderúrgicos, carvão e carga em geral, além de granéis sólidos e líquidos.

"Esta parceria entre dois grandes grupos empresariais demonstra a visão estratégica para construir um Brasil mais eficiente, criando alternativas competitivas para a infraestrutura logística brasileira", comentou, na nota, Eike Batista, presidente do Grupo EBX, que inclui a LLX.

"Este acordo confirma a vocação do Superporto do Açu como excelente alternativa para a instalação de empresas líderes setoriais, que encontrarão uma solução logística completa com fácil acesso a minério de ferro e carvão e oferecendo toda a estrutura necessária para exportação de produtos siderúrgicos, carga geral e granéis sólidos e líquidos, diz o comunicado. "O Superporto do Açu será definitivamente o 'hub' para as exportações brasileiras", acrescenta.(Estado de São Paulo)

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Venda direta de cosméticos e perfumes

Ótima opção para quem precisa de renda extra em tempos de inflação.
Com a inflação voltando a subir, revender produtos é uma ótima forma de ganhar um dinheiro extra para equilibrar o orçamento.




A venda direta no Brasil é um setor que movimentou mais de R$ 3,7 bilhões somente no primeiro trimestre de 2008, representando um aumento nominal de 15,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Vendas Diretas (ABEVD). Segundo a entidade, o bom desempenho é resultado do crescimento do segmento de cosméticos e produtos de higiene pessoal.

O mercado de venda direta é uma tendência mundial devido às facilidades que o setor oferece. De modo geral, as empresas só exigem dos seus futuros representantes que sejam maiores de 18 anos, apresentem CPF e comprovante de residência. Ter restrições no nome em geral não é empecilho para se tornar revendedor.

Segundo a World Federation of Direct Selling Associations – Organização Americana que congrega todas as associações nacionais de vendas diretas, há hoje no Brasil algo em torno de 1,74 milhão de representantes, 10% a mais que em 2006.

Inspiração Perfumes e Cosméticos

Uma das melhores opções para quem quer uma renda-extra, são as oportunidades oferecidas pela Inspiração Perfumes e Cosméticos. Na empresa há opções para perfis diferentes:

- Revender Produtos

Para aqueles que desejam apenas revender produtos, o cadastramento custa R$ 1,00 ( um real ) em um dos trinta e um Centros de Distribuição e feito por um distribuidor da Inspiração. O Revendedor trabalhará como autônomo, revendendo produtos e sua margem de lucro é de 33%. Isso equivale a dizer que a cada R$ 1 mil em produtos comprados da empresa, seu lucro na revenda será de R$ 330,00. Nesse caso é necessário apenas fazer o cadastramento.

- Distribuir Produtos

Para aqueles que buscam uma oportunidade maior, tendo em vista um negócio próprio, a distribuição é uma ótima alternativa. Nessa modalidade, a pessoa se cadastra como distribuidor, revende produtos, com margem de lucro de 66%, cadastra outros distribuidores e revendedores e ganha percentuais sobre as vendas do seu grupo. Nesse caso é necessária a compra do Kit Distribuidor, a partir de R$ 50,00, que traz todo material de apoio necessário para o seu crescimento, produtos, catálogos, e ainda mostruário das cores de batom e perfumes comercializados pela empresa de acordo com o Kit Distribuidor escolhido.

A Inspiração Perfumes e Cosméticos possui 33 perfumes, 18 cores de batons, produtos para corpo, cabelo e higiene pessoal.

Para revender ou distribuir os produtos Inspiração, o cadastramento pode ser feito através de um distribuidor da marca no CD mais próximo.(JorNow)

Se você se interessou pela reportagem e quer saber mais detalhes entre em contato comigo e venha fazer parte da empresa de cosméticos que mais cresce o Brasil - www.inspiracao.net/231332 -  Ligue para mim - 9100-9469 Leandro / lsf.inspiracao@yahoo.com.br

Obras já interrompem acesso à Avenida Amaral Peixoto

Principal via do Centro tem fluxo interrompido na altura da Marquês do Paraná por causa da construção do mergulhão. Primeiro dia de mudanças teve lentidão no trânsito só pela manhã

A última segunda-feira foi o primeiro dia de mudanças no trânsito do Centro de Niterói, em virtude da construção do mergulhão na Avenida Marquês de Paraná. Agora, os veículos não podem mais acessar a Avenida Amaral Peixoto pela Marquês de Paraná. No final do dia, houve congestionamento na Avenida Feliciano Sodré, trajeto alternativo escolhido por muitos motoristas que vinham da ponte Rio-Niterói.

Por conta da segunda fase das obras do mergulhão, os ônibus que acessavam o Centro pela Avenida Amaral Peixoto tiveram o seu trajeto alterado para a Rua São João. Veículos vindos do Rio, de São Gonçalo e da Zona Norte de Niterói têm que entrar nas ruas São João ou Coronel Gomes Machado, que teve inversão de mão nos dois primeiros quarteirões a partir do Corpo de Bombeiros, e por onde é possível chegar à Avenida Amaral Peixoto, ao lado do Colégio Liceu, pegando a Rua Evaristo da Veiga.

Na manhã de ontem, o trânsito apresentou lentidão apenas no trecho entre as ruas São João e Coronel Gomes Machado. Havia placas de sinalização em frente ao Corpo de Bombeiros para orientar os motoristas sobre o desvio. Cones e fitas amarelas impediam o tráfego para a Avenida Amaral Peixoto. Nas ruas Senador Nabuco, Evaristo da Veiga, Marquês de Olinda e trechos das ruas Barão do Amazonas, São João, Conceição e Coronel Gomes Machado, onde não é mais permitido estacionar, havia sinalização informando sobre a nova regra, com cavaletes e placas.

No final da tarde, quando muitos veículos usam a Avenida Marquês de Paraná para acessar o Centro e a Zona Sul da cidade, o sistema implantado funcionou. No entanto, muitos motoristas optaram por sair da ponte Rio-Niterói em direção ao Centro e Zona Sul pela Avenida Feliciano Sodré, causando um grande congestionamento na via. 

Mesmo com toda a sinalização e com agentes de trânsito nas esquinas das ruas São João e Coronel Gomes Machado, alguns motoristas ainda estão preocupados com possíveis congestionamentos. Como é o caso do vigia Crispim de Jesus, de 35 anos.

“Este início vai ser bastante ruim. Acredito que o trânsito vai ficar complicado até a população se acostumar com a mudança. Mas, se for para melhorar no futuro, vale a pena a complicação”, comenta ele.

Como medida para evitar transtornos à população, a Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans) decidiu introduzir as mudanças de forma lenta, desde a semana passada. Isso ajudou principalmente os usuários do transporte coletivo, que agora não têm mais dúvidas sobre onde ficam as paradas de ônibus e quais os trajetos deles. A rodoviária Dilneia Pereira, de 46 anos, gostou do novo local do ponto de ônibus.

“É a primeira vez que eu tomo o ônibus aqui na Rua São João. Achei essa mudança muito boa porque o ponto ficou bem próximo à polícia. Adorei, achei mais seguro. Eu sei que pode ser difícil para algumas pessoas, mas pela segurança, vale. A Prefeitura poderia deixar os pontos de ônibus aqui para sempre”, analisa Dilneia.

A professora Maria Lúcia Batista, de 55 anos, ficou contente com as mudanças.

“Eu moro aqui perto da Rua São João e, para mim, essa mudança foi muito boa. Eu só acho que pode complicar um pouco o trânsito dos carros. Isso é ruim”, afirma Maria. 

De acordo com a NitTrans, foram escalados para operação 80 agentes e operadores.(O Fluminense)

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Balas usadas na morte de juíza são da Polícia Militar

Projéteis recolhidos pelos peritos na cena do crime haviam sido comprados pela PM. Parte da munição teria ido para quartel de São Gonçalo, onde há suspeitos lotados

Rio - As balas usadas no assassinato da juíza Patrícia Acioli são da Polícia Militar. Os agentes da Divisão de Homicídios (DH) já sabem que os cartuchos de calibre 40 arrecadados no local da execução, em Piratininga, Niterói, são de um lote de 10 mil projéteis vendido pela Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) à PM. O próximo passo da investigação é descobrir quais foram os batalhões abastecidos. Informalmente, a Secretaria de Segurança levantou que parte da munição foi distribuída para três unidades — uma delas seria o 7º BPM (São Gonçalo).


No local onde a juíza foi assassinada, no dia 11, policiais da DH encontraram cápsulas de dois calibres: 40 e 45. No entanto, só os projéteis de calibre 40 são usados pela PM. Os de calibre 45 são exclusivos das Forças Armadas. A magistrada foi atingida por 21 disparos. Segundo fontes ligadas à investigação e à cúpula da Secretaria de Segurança, como os cartuchos têm número de lote, os investigadores pediram informações à fabricante do material e souberam o nome do comprador. Na sexta-feira, a PM foi consultada pela Secretaria sobre a distribuição do lote para fazer o levantamento. Numa verificação superficial, viu que parte dos cartuchos é do estoque enviado a unidades do Interior.


Para os investigadores, a informação é importante, uma vez que há suspeitas de que entre os autores do crime estejam homens que respondiam a processos na 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, onde Patrícia atuava. Ela participou de julgamentos de integrantes de grupos de extermínio, milícia e contravenção. Entre os envolvidos, há policiais do 7º BPM.(Jornal O Dia)

Barca com 126 passageiros precisa retornar à Praça XV


Outra barca, a Itapuca, que aguardava o retorno, seguiu viagem com os usuários. Nas outras linhas, segundo a concessionária Barcas S/A, as operações são normais.

Ps. Ainda querem aumento da tarifa, se a firma dá prejuízo por qual motivo não é vendida?

Prefeitura pode proibir caminhões na Alameda em horário de rush

Interrupções no tráfego da Alameda São Boaventura, no Fonseca, geradas por caminhões que param para fazer serviços de carga e descarga, estão com os dias contados

As interrupções no tráfego da Alameda São Boaventura, no Fonseca, geradas por caminhões que chegam a ocupar mais de uma faixa na via e param para fazer serviços de carga e descarga, estão com os dias contados. O vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Carlos Alberto Magaldi (PP), irá apresentar uma indicação legislativa na sessão plenária da próxima teça-feira, na Casa, para que a Prefeitura proíba o tráfego de veículos pesados nos horários do rush na via.

“Os moradores do Fonseca já não conseguem mais sair de casa. Farei uma indicação propondo que a NitTrans proíba o tráfego de caminhões das 6 às 10 horas e das 17 às 20 horas, que são os horários de rush. Penso em incluir pedido para que táxis possam transitar pela faixa exclusiva dos ônibus, para desafogar o trânsito”, informa Magaldi, que é morador do Fonseca.

O assistente administrativo Raphael Baltor, 26 anos, morador de São Gonçalo, todos os dias às 7h passa pela Alameda em direção ao trabalho no Rio de Janeiro.

“Os caminhões que circulam na via são de grande porte. Me deparei outro dia, às 7 horas, com  um caminhão cegonha que estava carregado de veículos. Um pouco mais à frente me deparei com um caminhão que tinha 20 metros de comprimento, caminhão  este que é especifico para o transporte de tratores e máquinas pesadas, e os mesmos trafegando tranquilamente junto aos veículos de passeio em pleno   horário de rush, um completo absurdo”, reclama Baltor.

A Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans), autarquia da Prefeitura responsável pelo setor, admite a possibilidade de implantar a medida.

“É uma proposta interessante, mas tem de ser avaliada a forma de fiscalização”, opina o presidente da NitTrans, Sergio Marcolini.

Em maio de 2008, o então prefeito do Rio Cesar Maia proibiu a circulação de caminhões e operações de carga e descarga nos dias úteis, nos horários das 6 às 10 horas e das 17 às 20 horas (de maior fluxo de veículos) na área da orla marítima e de 26 principais vias do Centro, Zona Sul e Tijuca, Méier, Vila Isabel (na Zona Norte), parte da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá, na Zona Oeste da capital. O objetivo foi diminuir os congestionamentos nos chamados horários de “pico”. Na época foram colocados painéis nas ruas informando os motoristas da medida.

A proibição só não se aplicou a veículos de socorro e emergência, transporte de valores, mudanças residenciais, serviços essenciais de utilidade pública desde que autorizados pela Prefeitura, além de caminhões de combustíveis que abastecem os aeroportos da cidade. A Guarda Municipal, a Coordenadoria de Vias Especiais e a CET-Rio ficaram responsáveis por fiscalizar a obediência à lei.

Mudança para ônibus
O vereador Carlos Alberto Magaldi (PP) também reivindica junto à Prefeitura que os ônibus deixem de trafegar pela Rua Desembargador Lima Castro e passem a usar a Rua Oscar Fonseca (ambas no Fonseca), antes da via, como uma medida para aliviar o intenso trânsito na região.

“A Rua Desembargador Lima Castro está muito sobrecarregada de carros de passeio, caminhões e linhas de ônibus. Eles poderiam voltar a entrar na Rua Oscar Fonseca, quando saírem da Alameda e entrarem depois na Travessa do Maia. O que ajudaria a desafogar o tráfego. O Município já estuda esta medida e deverá ser aplicada em breve. É uma reivindicação dos moradores do bairro. Também moro lá e vivo isso todos os dias”, explica Magaldi.

Hoje,  ônibus das linhas 49 (Fonseca-Centro-Icaraí), 43 (Icaraí-Centro-Rua 22 de Novembro), 45 (Centro-Cubango), 34 (Viçoso Jardim-Centro) e 730 D (Castelo-Charitas) passam pela via.(O Fluminense)

Governo RJ e AFD devem viabilizar linha 4 do metrô

Governo do Estado do Rio de Janeiro e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) deram mais um passo em direção a uma parceria que irá gerar investimentos na ordem de 500 milhões de euros em projetos de mobilidade pública no Rio. Nesta sexta-feira, representantes da entidade francesa estiveram reunidos com o secretário Estadual de Transportes, Julio Lopes, e o secretário Estadual da Fazenda, Renato Villela, para acertarem os detalhes da parceria, e conhecer com mais detalhadamente os projetos de mobilidade desenvolvidos pelo Governo do Estado. 

As negociações entre o Estado e a AFD começaram em julho, com uma reunião com o governador Sérgio Cabral e o chefe da Casa Civil em Paris. No encontro desta sexta-feira foi confirmada a intenção do investimento. Os investimentos devem priorizar a construção da Linha 4 do metrô (General Osório ↔ Jardim Oceânico), que beneficiará 240 mil pessoas diariamente. 

O próximo passo será uma missão de técnicos franceses ao Brasil, que estarão no país já no mês de setembro para fazer uma análise macroeconômica do cenário brasileiro. Na ocasião, os técnicos aproveitarão para conhecer de perto os avanços desenvolvidos pelo Governo do Rio no setor de mobilidade pública.

(O Dia)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Encosta do MAC vai receber obra de contenção


Construção de muro de gabião no Mirante da Boa Viagem foi licitada e vai custar mais de R$ 440 mil. A decisão foi oficializada pelo município mas ainda não há data prevista para começar

Foi divulgado na última quarta-feira o resultado do processo de licitação para escolha da empresa que irá executar as obras de um muro de contenção no Mirante da Boa Viagem. A empresa vencedora é a Multicon Construções e Serviços LTDA, que irá receber o valor global de R$442.662,14 para fazer os trabalhos. A decisão foi oficializada nesta quarta-feira pelo município. Ainda não há data prevista para o início das obras.
De acordo com a Prefeitura de Niterói, será construído no local um muro de gabião, uma contenção que tem uma rede de arame, cheia de pedras, para fazer a contenção propriamente dita. A obra, segundo o Executivo, é necessária porque marisqueiros teriam arrebentado o arame que havia sido colocado no local e o mar teria destruído a contenção em gabião.

Ressaca – Recentemente, uma forte ressaca atingiu o mirante e uma pequena parte da encosta chegou a ceder. Na ocasião, as fortes ondas, que alcançaram até quatro metros de altura, chegaram a atingir garagens de prédios e destruíram uma boa parte do calçadão da Praia João Caetano. De acordo com laudo técnico encomendado pela Prefeitura, o forte movimento da água do mar nas vigas em balanço da calçada fez com que houvesse o rompimento da estrutura de concreto.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente já emitiu a autorização ambiental para a Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa) iniciar as obras emergenciais de recuperação do calçadão da Praia das Flechas. No entanto, as obras ainda não foram iniciadas.

Piratininga – Outro local que também sofreu com a forte ressaca foi a Praia de Piratininga. Devido à força das ondas, dois metros de areia foram arrastados. Agora é possível ver os destroços do antigo calçadão, destruído na ressaca de 1996 e que estavam cobertos por essa areia que desapareceu.

Na praia de Camboinhas, as ondas fizeram com que uma parte da restinga fosse arrastada, pondo em risco alguns quiosques, que tiveram que ser interditados, causando prejuízos aos proprietários. 

Revitalização - O administrador regional do Ingá, Vladilson Fernandes, informou que o projeto “Bairros” será iniciado no Ingá e incluirá São Domingos na iniciativa. Segundo ele, haverá um reordenamento do local, que deverá ser transformado em polo gastronômico e cultural.

“O prefeito disse que o encaminhamento de viabilização de verbas já estava feito, mas não começaria o projeto enquanto não tivesse certeza de que ele não seria interrompido pela metade, que houvesse verbas para que ele fosse finalizado”, explica.

Vladilson esclarece que a administração regional fez um relatório de 50 páginas e um vídeo e entregou para a Prefeitura. Porém, ele não sabe quantas das ideias propostas no documento serão aproveitadas. Na opinião do administrador, um dos principais problemas do bairro, que merece intervenção, é a questão da segurança.
“Nessa questão, acho que deveríamos fazer uma ação integrada com a Universidade Federal Fluminense (UFF). A cada seis meses, a instituição traz para a cidade cerca de cinco mil alunos, e grande parte deles é de famílias abastadas do interior, onde não existe tanta violência. Quando chegam a Niterói, elas ostentam seus pertences, se tornando um alvo fácil para assaltos”, acredita.

Outra questão que deve ser observada no bairro, segundo Vladilson, é a realidade social diversificada. Enquanto de um lado há os moradores classe A da Boa Viagem, do outro, há os moradores do Palácio, de classes mais baixas.

“Há uma diferença social muito ampla que pode resultar em violência. Deveríamos tentar diminuir essa diferença com algumas intervenções”, conclui Vladilson.(O Fluminense)

Inscrições para cursos profissionalizantes em Niterói

Começou segunda-feira, 8 de agosto, as inscrições para cursos profissionalizantes com objetivo de formar mão de obra para os setores de construção civil e serviços.

Os cursos, inteiramente gratuitos, oferecem 482 vagas para futuros trabalhadores da construção civil e 390 para a área de serviços.
 
As inscrições deverão ser feitas na sede da Secretaria Municipal de Trabalho de Niterói, situada no quinto andar do prédio da Rodoviária Roberto Silveira, na Rua Barão do Amazonas, Centro, no horário das 9h às 17h. “Os cursos fazem parte do Plano Setorial de Qualificação, o Planseq, que é organizado pelo Ministério do Trabalho, Petrobras, Instituto de Qualidade de Vida, o Iquavi, e a Prefeitura de Niterói, através da nossa Secretaria”, revela o secretário de Trabalho, Osvaldo Maneschy.

Para se inscrever, as pessoas interessadas deverão apresentar documento de identidade, CPF atualizado, comprovante de escolaridade – exigência mínima do terceiro ano do Nível Fundamental -, atestado de residência e PIS – na ausência do PIS, o candidato poderá apresentar o NIT, cadastro municipal que substitui o PIS, para quem nunca trabalhou. Vagas abertas para quem está na faixa de 18 a 60 anos de idade. Não poderão se candidatar funcionários públicos, pensionistas e pessoas que estejam trabalhando.
 
Mais detalhes: http://www.felipepeixoto.com.br/?noticias&c=1-990&q=Niteroi+oferece+872+vagas+gratuitas+em+cursos+profissionalizantes

domingo, 7 de agosto de 2011

Grupo paramilitar peruano cerca equipe da Funai em território brasileiro

Equipe da Funai: Carlos Travassos, Artur Meirelles, Marreta, José Meirelles e Chicão
Funcionários da Funai (Fundação Nacional do Índio) permanecem cercados por um grupo paramilitar peruano que invadiu o território brasileiro, na fronteira do Acre com o Peru. Os peruanos estão armados com fuzis e metralhadoras.

Os quatro funcionários e o sertanista José Carlos dos Reis Meirelles, que trabalha para eles, foram levados em helicóptero durante operação da Polícia Federal nesta sexta-feira (5).

A equipe decidiu permanecer na Frente de Proteção Etnoambiental do Rio Envira, mantida pela Funai no igarapé Xinane, na tentativa de proteger os índios isolados da região.

Com base nos vestígios encontrados na floresta, a equipe da Funai estima a presença de pelo menos cinco homens em mais de um grupo paramilitar.

Os peruanos rondam a base e deixam os funcionários em situação de extrema vulnerabilidade em caso de conflito armado. A situação não depende mais da ação da Funai, pois se configura uma questão de segurança nacional.

- Estamos ainda com os peruanos próximos nos espreitando. Avistamos rastros de seis pessoas hoje cedo, atrás da base. Estamos apenas com uma espingarda velha e dois rifles calibre 22. Mas se tem o pessoal da PF aqui, a gente tinha pego os invasores hoje – relatou o chefe da Coordenação Geral de Índios Isolados e de Recente Contato (CGIIRC) da Funai, Carlos Travassos.

A equipe da Funai na Frente de Proteção Etnoambiental dispões de telefone e computador conectado à internet.

- O tempo nosso em frente ao computador está curto. Não é fácil ficar com um olho no monitor e outro nos peruanos. Eles estão ainda aqui. São mais de um grupo, de cinco ou seis pessoas. Estão nos monitorando e nós a eles. A galera que está aqui é toda mansa na mata. Mas a chapa está quente. Mande bala aí, como puder. Temos internet e telefone por aqui – relatou o sertanista José Carlos dos Reis Meirelles ao Blog da Amazônia.

A documentarista Maria Emília Coelho, que sobrevoou a região durante operação da Polícia Federal na sexta, disse que os funcionários da Funai se queixam que a PF não permaneceu na base para garantir a proteção da fronteira.

Apelo
O sertanista José Carlos dos Reis Meirelles divulgou nesta tarde uma mensagem sobre a situação na área:
“A todos,
Vocês já sabem das notícias. Vão as últimas.
Desculpem por mandar pra todo mundo, mas o tempo pra ficar no notebook aqui tá curto. Um olho na tela e outro nos peruanos não dá.

Seguinte:
1 – Pela quantidade de vestígios aqui ao redor, temos certeza que os caras se dividiram em grupos de 5 ou 6 e estão fazendo uma verdadeira varredura aqui ao redor da base.
2 – Os isolados não andaram aqui não. As coisas que desapareceram daqui indicam que não foram eles.
3 – Cremos também que junto desses peruanos existam índios sim, contatados de lá.
4 – A gente conhece apito de índio remedando bicho. Parece que tem uma reunião de nambú azul aqui por perto.
5 – Se esses caras estão procurando alguma coisa, ainda não acharam.
6 – Todo mundo que está aqui ( nós cinco gatos pingados) é manso na mata, como eles.
7 – O nome de nosso dois mateiros: Francisco Alves da Silva Castro o Marreta. Francisco de Assis Martins de Oliveira – O Chicão.
8 – O dia que a Funai descobrir que um homem como eles, valem por 20 indigenistas e 20 sertanistas, talvez resolva contratá-los, sem concurso público, pois são analfabetos, mas os maiores doutores da mata que conheço, talvez a segurança dos índios isolados possa ser melhor conduzida.

Permaneceremos aqui, dê o que dê, até que o Estado Brasileiro decida RESOLVER DE VEZ esse absurdo!!!! Não pra proteção nossa.
PARA PROTEÇÃO DOS ÍNDIOS!!!!!!
Quem não tiver atualizado, por favor procure sites e tal que já tá no mundo.
Quem puder reclamar, pressionar etc., será bem vindo. Os isolado agradecem.
Um grande abraço a todos da nossa equipe de ” irresponsáveis”, como estamos sendo chamados.
Pensem bem: Quem é o irresponsável mesmo.
Meirelles”

FONTE: Blog da Amazônia / Foto: Maria Emília Coelho / Blog Forças Terrestre
COLABOROU: Reginaldo Palazzo

Atacante do Fluminense chama torcedores de marginais

"Na terça-feira, fui a um restaurante a 100 metros da minha casa. Tinha um cara que estava no domingo na porta da minha casa e ele estava no telefone. Fiquei preocupado. Quando entrei no carro começaram a me seguir e começou a perseguição. Nem fui para minha casa. Corri e fui para a casa do Rafael Moura. Como cidadão tive que prestar queixa. Fiquei muito mal, principalmente porque envolvia minha família. No momento que não tiver segurança e tranquilidade para trabalhar, eu não vou querer ficar".

Quando foi à delegacia prestar queixa sobre a perseguição, o atacante aproveitou para levantar a ficha criminal de alguns dos torcedores envolvidos no episódio, o que acabou lhe causando ainda mais insegurança. "Tem gente até com acusação de homicídio e isso me deixou estarrecido, completamente assustado. Não vou continuar no Fluminense desse jeito. Deixei o caso com a diretoria, com a polícia, e só volto a jogar se tiver segurança para mim e para minha família".

Com a possibilidade de deixar as Laranjeiras em pauta, Fred já pensa em voltar a jogar fora do Brasil, para que não 'traia' o Flu. "A minha ideia é sair do Fluminense. Está difícil continuar aqui nessas condições. Estou analisando meu futuro, mas garanto que não vou para nenhum outro clube brasileiro. Seria um traidor. Saindo do Fluminense, tem que ser para algo fora daqui", garantiu.

Perguntado se aceitaria conversar com membros de facções organizadas do Flu, Fred garantiu que não faria tal coisa porque "não são torcedores, são marginais que não tem o que fazer". O atacante também confirmou que ingeriu "três bebidas" alcoólicas na terça-feira, mas lembrou que treinou normalmente no dia seguinte.

Preocupado com seu futuro na seleção brasileira - agora que voltou a ser convocado - Fred logo avisou o treinador do time canarinho, para que Mano não se deixasse influenciar pelas diversas versões divulgadas pela imprensa. "Liguei para o Mano, expliquei o que estava acontecendo, ele compreendeu e garantiu que aquilo não iria influenciar no meu aproveitamento na seleção", revelou.

Fred também voltou a reclamar da perseguição que sofreria por parte da imprensa e disse ter provas do envolvimento de alguns jornalistas com membros de facções organizadas. "São jornalistas que fazem críticas constantes, independente da minha situação. Minha assessoria juntou documentos comprovando que essas pessoas estão ligadas aos torcedores que me ameaçaram".(Jornal O Dia)

Jael marca no fim do 2º tempo e passa o Corinthians


O jogo de sábado começou com um gol perdido de Renato Abreu logo aos 2 minutos, depois disso foi um jogo travado com o Coritiba fechando todas as portas e tentando contra-ataques. Com um gramado digno de peladas o Flamengo teve suas principais chances nas bolas paradas com Ronaldinho e Renato Abreu.


No segundo tempo o Coritiba resolveu ficar recuado, grande erro, o Flamengo acostumado a jogar na pressão da torcida foi para cima do adversário, o técnico Vanderlei Luxemburgo mexeu no time e colocou "Drogbinha" e Jael que logo no primeiro chute a bola bateu na trave e em um cruzamento do Ronaldinho o gol da vitória.

sábado, 6 de agosto de 2011

Ferrovia do século 19 vai voltar à ativa no Rio


Um trecho ferroviário do tricentenário "caminho novo" da Estrada Real deve ser reativado até o fim do ano em Paraíba do Sul, a 137 quilômetros do Rio, na divisa com Minas Gerais. Depois de seis anos parada, a maria-fumaça Baldwin, de 1910, voltará a percorrer 14 quilômetros de trilhos construídos no século 19 entre o centro da cidade e os distritos de Werneck e Cavaru.

Para comerciantes e moradores, é a esperança de retomada do turismo. Será o sexto trecho da Estrada Real a contar com viagens de trens turísticos no Brasil. Os outros estão em São Paulo, na Estrada de Ferro Campos de Jordão, ou em Minas - Trem das Águas, em São Lourenço, Serra da Mantiqueira, em Passa Quatro, da Vale, entre Ouro Preto e Mariana, e a maria-fumaça que faz o trecho São João Del Rey - Tiradentes.

"Quem sabe um dia não poderemos andar de trem novamente na Estrada Real? É um sonho de todos nós", conta o empresário Talis Lelis, vencedor da concorrência para concessão do trecho em Paraíba do Sul.
A reforma da maria-fumaça será custeada pelo governo do Estado: R$ 303 mil. Para a revitalização dos trilhos, Lelis espera contar com o apoio da Ferrovia Centro-Atlântica, que administra o trecho. "Com a volta do trem, esperamos impulsionar todo o turismo."

O comerciante Francisco Vilela Novaes há três décadas tem uma loja na frente da Estação Cavaru. Aos 51 anos, ele viu de perto as três tentativas anteriores (em 2003, 2004 e 2005) de colocar o trem em funcionamento. Na última, sob administração da prefeitura, o passeio durou quatro meses e foi encerrado em 1.º de maio de 2005. "Agora, criamos nova expectativa. É uma pena ver um caminho que já foi tão importante para o Brasil desativado."

Cada tentativa de reabertura foi documentada pelo historiador Luiz Carlos Coelho, de 66 anos, que de tão tradicional dá nome à galeria cultural da cidade, localizada na Estação Central. "Essa linha férrea é cheia de histórias. Em 1960, foi palco de um dos maiores assaltos do Brasil. Tião Medonho assaltou o "trem pagador" e levou 27,6 milhões de cruzeiros."

A história de Paraíba do Sul, com seus pouco mais de 41 mil habitantes, está ligada à da Estrada Real. Garcia Rodrigues Paes, filho do bandeirante Fernão Dias, chegou em 1681 à região que receberia o município. Ali, ele viu a possibilidade de abrir um novo caminho entre as minas de pedras preciosas em Minas Gerais e o porto do Rio. O chamado "caminho velho", entre Ouro Preto (então Villa Rica) e Paraty, era alvo de assaltantes, o que criou a necessidade de fazer uma nova rota.

Passeios. Segundo a Associação Brasileira de Operadores de Trens Turísticos, existem hoje no Brasil 32 passeios de trens e há projetos para a criação de pelo menos outros 20. Do total, 24 pertencem ao projeto Trem é Turismo, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que abrange 11 Estados. Entre os mais conhecidos estão o Trem do Corcovado, no Rio, o do Vinho, no Rio Grande do Sul, e o do Forró, em Pernambuco.

A Estrada Real por dentro

A construção da Estrada Real foi determinada no século 17 pela Coroa Portuguesa para fiscalizar a circulação de riquezas entre Minas Gerais e o litoral do Rio de Janeiro, de onde saíam os navios para Portugal. Atualmente, o complexo da Estrada Real conta com 1.600 km e compreende 177 cidades: 162 em Minas, oito no Rio de Janeiro e sete em São Paulo.(O Estado de S. Paulo)

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Promoção para todo o mês de agosto

Salão da Bebel 

*  Aplicação de botox capilar e ganhe outra por R$ 79,99

* Relaxamento + reconstrução - R$ 49,99

* Escova marroquina ou Turmalina - R$ 49,99

OBS - Qualquer tamanho de cabelo!!

Temos todos os tipo de escovas com ou sem formol.

Especializada em Químicas.

Aceitamos Cartões Mastercard, Visa, American Express, Cartão alimentação.

Agende sua visita pelos telefones

3702-8720 / 2625-5523 / 7112-5395

"Deus é fiel"


O Salão da Bebel fica na Tv. Nair Ladeira nº 9 - Fonseca - Perto da Igreja Santo Antônio e São Januário


Indústria quer banir trens chineses

Depois de ver a “casa arrombada” por quatro vezes por trens coreanos e chineses, vendidos ao Rio e a Salvador, a indústria ferroviária nacional está tentando “por um cadeado na porta”  através de uma forte mobilização contra a muito provável compra de mais 60 trens chineses para a Supervia, no Rio de Janeiro, pelo governo do estado. Ontem, em reunião no Simefre, o presidente da entidade, José Antonio Martins, disse que seria “uma afronta à indústria nacional”  ver o governo do Rio repetindo o que fez há dois anos, ao comprar 30 trens de quatro carros e depois mais quatro também de quatro carros da Changchung Railway Vehicles Corporation, pertencente ao conglomerado chinês CNR. A fábrica da Changchung volta hoje uma boa parte de sua capacidade de produção para o Brasil, pois ali também estão sendo fabricados 19 trens de seis carros adquiridos pelo Metrô Rio, concessionária privada. 

No início da reunião – que contou com a presença do secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes – os empresários se mostravam entusiasmados com o anúncio, na véspera, do plano Brasil Maior, com suas normas de desoneração fiscal para a indústria e margem de preferência de 25% para produtos nacionais nas compras governamentais. Logo em seguida, no entanto, o presidente da Abifer, Vicente Abate, observou que a licitação a ser aberta no mês que vem pelo governo do Rio para a compra dos trens da Supervia terá financiamento do Banco Mundial, e dessa forma escaparia não só da margem de preferência como também do imposto de importação de 14% sobre importação de equipamento ferroviário. Foi assim, com isenção de imposto alfandegário, que os primeiros 34 trens foram comprados.

As duas entidades do setor decidiram partir para o ataque. O presidente do Simefre, gaúcho como a presidenta da República, e próximo a ela, vai atuar em Brasília, enquanto o presidente da Abifer, diretor da AmstedMaxion, fábrica de vagões, vai mobilizar a força sindical para fazer pressão sobre o governo do Rio.

Uma outra compra a ser feita pela Supervia, de mais 30 trens, esta com recursos privados, da Odebrecht Transport, que hoje controla a operadora, também está a caminho. Ou seja, uma encomenda total de 90 trens, próxima da compra de 105 trens feita pela CPTM há quatro anos, e que levou à instalação da fábrica da CAF em Hortolândia (SP). Não está descartado, por sinal, que uma fábrica da CNR venha a ser instalada em Três Rios (RJ), onde a T'Trans, associada do Simefre, tem as suas instalações prontas para receber os chineses, caso a encomenda seja de fato ganha por eles.

Segundo uma fonte da indústria, os chineses tem grandes chances de levar a encomenda, pois é natural que a Supervia queira  uma frota homogênea de novos trens, o que simplifica e barateia a manutenção. Além disso, o Rio possui um programa de incentivo à produção de material ferroviário, o programa Rio Ferroviário, com incentivos fiscais, o que beneficiaria a associação CNR/T'Trans. E também existe a declaração mais do que franca do secretário de Transportes do Rio, Julio Lopes, feita numa reunião anterior do Simefre: “O Rio não vai comprar trens mais caros para gerar emprego em São Paulo”.  Parece o cenário ideal para que se repita, em Três Rios, o que aconteceu em Hortolândia.(Revista Ferroviária)

Vasco e Flamengo vencem e continuam no G4

Vasco vence o Santos por 2 a 0 e chega a 27 pontos na tabela do Brasileirão.

(Foto: Paulo Sérgio / Lancenet)
Com um golaço de Diogo Souza eum gol do zagueiro Dedé o Vasco consegue superar o Santos em São Januário. Com a terceira derrota seguida o campeão da Libertadores segue na no Z4.O Vasco foi melhor que o Santos, não deixou o time adversário jogar. Em São Januário teve de tudo, falta de luz, que paralisou o jogo por 15 minutos, placar dizendo que o Cruzeiro estava ganhando o Flamengo por 1 x 0, sem contar com a chuva que castigou os 14 mil pagantes que foram ao estádio.

Flamengo vence o Cruzeiro em casa e continua na vice-liderança do Brasileirão.

(F Diorio / Agência Estado)
 O Flamengo cada vez mais ganha segurança na defesa com o Aírton que anulou o argentino Montillo, o meio campo do Flamengo com Bottinelli e Thiago Neves foi fundamental para que o R10 tivesse liberdade em campo. Vanderlei Luxemburgo cada vez mais imprime seu estilo de jogo. O próximo adversário será o Coritiba, sábado às 18:30 h no Engenhão.



PM estoura bingo clandestino no Fonseca e 15 são detidos

Na casa de apostas, foram encontradas 35 máquinas de vídeo-bingo. Responsável e apostadores foram levados para a delegacia. Em SG, central de internet foi descoberta

Policiais militares do Serviço Reservado (P-2) do 12º BPM (Niterói) estouraram na noite de quarta-feira um bingo clandestino na Rua Desembargador Lima Castro, no Fonseca. No local, foram apreendidas 35 máquinas de vídeo-bingo e detidos 15 apostadores e o responsável pelo local.

O espaço tem cinco salas, sendo que em quatro delas funcionavam as máquinas. O bingo funcionava na sobreloja de um prédio comercial de dois andares. A P-2 estava investigando o local há 15 dias. O responsável pelo espaço responderá pelo crime de contravenção penal. O caso foi registrado na 78ª DP (Fonseca). 

São Gonçalo- Também à noite, uma central clandestina de internet banda larga foi descoberta pela Polícia Federal. A aparelhagem funcionava no interior de um bar localizado no município de São Gonçalo. Uma pessoa que seria responsável pelo local foi presa.

Mais cedo, agentes da DPCA apreenderam quatro máquinas caça-níqueis em um bar na Rua São Januário, no Fonseca. Uma mulher foi levada para a delegacia e depois liberada.  O proprietário não foi localizado.(O Fluminense)

Buenos Aires para 2, com aéreo, a partir de R$ 1.549, na Otur Turismo - parcele em até 6x



Algumas cidades do mundo conseguem a façanha não apenas de deslumbrar quem as visita, mas de fazer com que quem é de fora as adote como suas. Quem ouve Carlos Gardel cantar a plenos pulmões “Mi Buenos Aires Querida” não acredita que o saudoso cantor não fosse, de fato, argentino. Denomine-se mais um cidadão do mundo com o Groupon de hoje: Buenos Aires para 2, a partir de R$ 1.549, na Otur Turismo.
Escolha entre dois pacotes, Simples, que inclui aéreo + hospedagem, de R$ 3.098 por R$ 1.549. A opção engloba passagem aérea Pluna, no trecho São Paulo ou Rio de Janeiro / Buenos Aires / São Paulo ou Rio de Janeiro, e 3 noites de hospedagem com café da manhã e taxas Hotel cat Turistica (Hotel Victory, Orly, Las Naciones, Catalinas Suites ou similares).


A segunda opção, Completa, inclui aéreo + hospedagem + benefícios / descontos em diversos estabelecimentos e tour de compras, de R$ 3.498 por R$ 1.749. A opção engloba passagem aérea Pluna, no trecho São Paulo ou Rio de Janeiro / Buenos Aires / São Paulo ou Rio de Janeiro, e 3 noites de hospedagem com café da manhã e taxas Hotel cat Turistica (Hotel Victory, Orly, Las Naciones, Catalinas Suites ou similares). Além disso, inclui traslado de chegada e saída, city tour, cortesias fornecidas localmente (cupom de desconto e benefícios em Shopping Central, com traslado gratuito desde o hotel – somente ida), 10% de desconto em compras de Vinhos na Ligier, 25% de desconto em almoços e jantares no Spell Café, em Puerto Madero ou Palermo Soho, tour de compras a fabricas de couros, sapatos e cachemira, taça de vinho ou cerveja cortesia para jantar na típica Parrilla La Rienda.


quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Renault anuncia recall para Clio, Logan e Sandero

Falha das travas das válvulas de admissão e de escape pode levar a falhas no motor


A Renault anunciou nesta segunda-feira (1º) um recall de quase 6.000 veículos dos modelos Clio, Logan e Sandero. Os carros envolvidos no recall foram fabricados entre 2010 e 2011 e são equipados com o propulsor 1.0 16V.

Segundo a montadora, os proprietários desses veículos receberão um comunicado da empresa avisando sobre a necessidade de levá-los às concessionárias para a substituição das travas das válvulas de admissão e de escape do motor.

De acordo com a Renault, a campanha de recall atinge 5.736 unidades e a troca das peças é necessária para evitar danos ao motor, que, em casos extremos, podem causar acidentes.

A relação completa dos veículos envolvidos nesta campanha é a seguinte:

- Modelo: Clio 2 portas
Motor: 1.0 16V
Ano de fabricação: 2010 e 2011
Números de chassis: 8A1CB8V05BL632563 a 8A1CB8W05BL729368

- Modelo: Clio 4 portas
Motor: 1.0 16V
Ano de fabricação: 2010 e 2011
Números de chassis: 8A1BB8V05BL641358 a 8A1BB8W05BL722835

- Modelo: Logan
Motor: 1.0 16V
Ano de fabricação: 2010
Números de chassis: 93YLSR6RHBJ662715 a 93YLSR7RHBJ688005

- Modelo: Sandero
Motor: 1.0 16V
Ano de fabricação: 2010
Números de chassis: 93YBSR6RHBJ662862 a 93YBSR7RHBJ694843

A empresa também coloca à disposição dos clientes o telefone e o e-mail do Serviço de Atendimento ao Cliente -             0800-0555615       (ligação gratuita) e sac.brasil@renault.com -, além do endereço da Renault do Brasil na Internet www.renault.com.br.

 

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Professores de escolas municipais de Niterói anunciam que greve continua

Profissionais de educação optaram por continuar paralisação após assembléia. Comissão foi recebida por secretária da pasta no município, mas, negociações não avançaram

Os profissionais de educação das escolas municipais de Niterói entraram em greve nesta segunda-feira por tempo indeterminado. A greve foi decidida em assembleia. Uma comissão de professores foi recebida pela secretária municipal de Educação, Maria Inês Azevedo de Oliveira. No entanto, não houve avanço nas negociações e a greve permanece.

As reivindicações são por melhor plano de carreira, reajuste salarial e diminuição da carga horária de 40 para 30 horas semanais. No próximo dia 4 uma nova assembleia será realizada.

Durante o encontro, a secretária ressaltou os avanços conquistados pela categoria este ano. De acordo com a Prefeitura, entre os anos os anos de 2009 e 2011, o vencimento-base do Professor I com nível superior e 24 horas-aula semanais foi de R$ 1.054,13 para R$ 1.406,00, sem contar com alguns benefícios.

No que se refere às reivindicações sobre a redução da carga horária dos profissionais de apoio de 40 para 30 horas semanais, a implantação de triênios em vez de quinquênios e a recuperação das perdas salariais, a secretária Maria Inês comunicou aos representantes do Sepe que, no momento, tais solicitações não fazem parte da pauta do Governo.(O Fluminense)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

PMRJ faz faxina

PM expulsa 30 policiais acusados de participação em crimes no RJ

Segundo corregedor, entre os expulsos há um sargento, soldados e cabos.
Eles são acusados de crimes como extorsão e tentativa de homicídio.

A Polícia Militar confirmou nesta segunda-feira (1º) que 30 agentes foram expulsos da corporação por desvio de conduta. A expulsão foi publicada no boletim interno da corporação na última sexta-feira (29).

De acordo com o corregedor da PM, coronel Ronaldo Menezes, entre os policiais expulsos estão um sargento, soldados e cabos. Eles são acusados de participarem de crimes como tortura, formação de quadrilha e tentativa de homicídio.

Menezes informou que esta semana novas expulsão serão julgadas pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte. "Essa semana temos novos despachos com o comandante", disse o coronel. Para ele, a mudança da sede da Corregedoria, no Centro da cidade, para o município de Niterói tem facilitado a apuração dos processos. "Os julgamentos são feitos com mais rapidez e critério", afirmou.

Quatro oficiais foram expulsos pela Secretaria de Segurança
 
Na sexta-feira (29), o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, decidiu expulsar  quatro oficiais da Polícia Militar e sete inspetores da Polícia Civil, segundo informou a assessoria da Secretaria de Segurança.

Segundo a Secretaria, os 11 policiais já tiveram seus processos julgados pela Corregedoria Geral Unificada. A expulsão dos quatro policiais militares tem que ser ainda autorizada pela Justiça comum.

Entre os crimes que teriam sido cometidos pelos policiais civis estão extorsão, roubo e receptação. Já dois policiais militares teriam envolvimento com milícias e os outros dois com a máfia dos caça-níqueis, informou a Secretaria.(G1)

 

Última etapa do Tour do Rio passa por Niterói após quatro dias de maratona

Competição de ciclismo terminou após atletas percorrerem quase 800 km de estradas. Ciclista italiano foi expulso por racismo. Ponte ficou interditada no sentido RJ para a prova


A última e quinta etapa do Tour do Rio, principal competição de ciclismo de estrada de alta performance da América Latina, voltou à capital na manhã deste domingo. A pista da Ponte Rio-Niterói ficou interditada no sentido Rio para que os 81 participantes que ainda restam na competição passassem.

A Avenida Francisco Bicalho também ficou interditada de manhã para a passagem dos atletas. O local de chegada foi a Quinta da Boa Vista. O vencedor foi o colombiano Juan Suarez.

O ciclista italiano, Marco Coledan, da equipe Trevidiani, foi expulso da competição por ter chamado o brasileiro Renato Santos da equipe DataRo de “negro sujo”, durante uma discussão na etapa em Teresópolis-Rio das Ostras.

O tour começou no último dia 27 com 185 ciclistas de 17 equipes de ciclismo, que passaram por 13 municípios antes de retornar ao Rio de Janeiro e percorrerem cerca de 800 quilômetros. Os primeiros colocados garantiram suas vagas para as Olimpíadas de Londres de 2012 e uma premiação de R$ 200 mil.(Agência Brasil e O Fluminense)